quarta-feira, 30 de julho de 2014

Dinheiro extra: juros do PIS/Pasep


dinheiro extra
O rendimento do PIS/ Pasep, também denominado de juros é um dinheiro extra que pode ser sacado anualmente pelos trabalhadores cadastrados no fundo PIS/Pasep até 04/10/88, desde que não tenha havido saque do saldo de quotas na conta individual de participação.
Caso não haja saque, o valor será incorporado ao saldo de quotas e renderá juros e demais acréscimos previstos em lei.
Os rendimentos poderão ser sacados nas agências da Caixa para beneficiários do PIS e nas agências do Banco do Brasil os beneficiários do Pasep.

Quem tem direito 

Tem direito ao saque o trabalhador que foi cadastrado no PIS/Pasep até 4 de outubro de 1988 e que tenha saldo na conta PIS. O pagamento obedece ao mesmo calendário do abono salarial.
Os trabalhadores que recebem mais que dois salários mínimos em média e não têm direito ao abono, têm direito aos rendimentos do PIS de sua conta individual.
Não tem direito a rendimentos, os servidores que efetuaram saque total após 1988 ou foram cadastrados após 04.10.1988, não possuem saldo e, consequentemente, não tem direito a rendimentos.

Pis Online

Pesquise suas cotas e saiba o quanto você poderá retirar; o primeiro passo é cadastrar-se no site da Caixa Econômica federal:

  1.  Acesse o site da Caixa
  2. Cadastrar seu PIS
  3. Informe o seu NIS, senha da internet e o código de verificação.
POR TELEFONE
a Caixa Econômica possui um serviço para consulta através do telefone 0800, que pode ser feito a qualquer hora do dia por telefone fixou ou também no celular.
O número para consulta do PIS é o 0800 726 0207
 






segunda-feira, 21 de julho de 2014

Tempo de serviço militar para o INSS

tempo serviço militar INSS

O tempo de serviço militar obrigatório  deve ser contado para fins de aposentadoria, conforme estipula o artigo 55 da lei 8.213/1991, comprovação feita pelo  certificado de reservista. Deve-se ficar atento face esse tempo não constar automaticamente nos registros do INSS (CNIS)
Mesmo que o período seja concomitante (ao mesmo tempo),  prestação de serviço militar e registro como empregado CLT, os dois períodos devem ser somados e acrescentados no tempo de serviço/contribuição do segurado.




                                                 Atividade concomitante cálculo do salário para o INSS





quinta-feira, 17 de julho de 2014

INSS: Contribuição reduzida para domésticas e empregador

alíquota menor para empregados domésticos
A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira, 15, a redução e a unificação das alíquotas cobradas pela previdência para empregados domésticos e seus empregadores. A contribuição para a Seguridade Social do funcionário doméstico passará a ser de 6% do seu salário  e  a contribuição devida pelo empregador será de  6% do salário.


A medida  deverá cumprir agora um prazo para recursos de Plenário. Caso nenhum recurso seja apresentado, seguirá para sanção presidencial.

As contribuições serão realizadas em uma guia que identificará empregadores e empregados permitindo a identificação do empregador que é o responsável pelo recolhimento.

direitos do  empregado doméstico



Direitos do empregado doméstico (Ministério  do Trabalho )

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Vivendo com a renda da aposentadoria


Conheça quatro bons lugares para passar a aposentadoria, de acordo com a International Living, organização responsável pela publicação do ranking anual dos melhores países para viver após se aposentar. A escolha dos lugares considera o custo de vida, a infraestrutura de serviços e a qualidade de vida local.

O investimento necessário mensal para a obtenção de uma renda vitalicia é do Icatu Seguros, da qual o post foi baseado, com os seguintes parâmetros
 *cotação do dólar atual (R$ 2,45)
*Idade atual de 30 anos e aposentadoria aos 65 anos
*renda vitalícia



Equador Eleito o melhor país para se viver na aposentadoria segundo o site International Living. O Equador tem qualidade de vida "imbatível", bom nível de segurança e a melhor relação custo-benefício em se tratando de moradia e serviços de saúde. São necessários  800 dólares (1.960 reais) para uma vida confortável. Com o dobro disso, você pode ter uma vida de rico (3.920 reais).
Quanto eu preciso?   Investir 368 reais por mês


Colômbia Incrustada na Cordilheira dos Andes, a Colômbia se destaca pelos cenários coloridos de suas cidades coloniais. Para quem teme o narcotráfico, não há mais motivo. Os índices de violência que assustaram residentes e estrangeiros caíram mais de 80% em cidades como Bogotá e Medellín. Um bom apartamento de três quartos no centro de Medellín sai por 100 mil dólares (245 mil reais) e o custo de vida mensal para um casal é de 1 mil dólares (2.450 reais).
Quanto eu preciso? 
Investir 460,00 reais por mês


México O México chama a atenção por suas cidades antigas e, principalmente, pelas ruínas — o país é repleto de sítios arqueológicos.  Serviços que já aumentaram de preço no Brasil, como os de empregada doméstica, cozinheira e jardineiro, ainda são encontrados por valores bem acessíveis no país. A cidade de Campeche também é apontada como uma das mais baratas do mundo para viver após se aposentar, com um custo de vida mensal médio de 1.400 dólares (3.430 reais) para um casal.
Quanto eu preciso?  Investir 644 reais por mês

Panamá Os prédios e os shopping centers da Cidade do Panamá não fazem da capital do país uma cidade comum. Apesar de toda a característica urbana do lugar, é um país extremamente calmo. É possível aproveitar algumas vantagens dos países emergentes, como o baixo custo para alguns serviços. Santa Fé é citada como uma das cidades mais baratas para se morar no mundo. Com 800 dólares (1.960 reais) um casal vive bem no município.
Quanto eu preciso? Investir 368 reais por mês 

quinta-feira, 10 de julho de 2014

13º salário dos aposentados 2014

A primeira parcela do 13º salário para os aposentados e pensionistas que ganham até um salário mínimo, começa no dia 25 de agosto e    para quem ganha mais do que um salário mínimo começa em 1º de setembro e termina no dia 5   O benefício depositado a partir de 25 de agosto corresponde a 50% do valor.  O ministério aguarda somente a definição do decreto da Casa Civil, que oficializa o pagamento antecipado.

DATAS PREVISTAS PARA O PAGAMENTO........

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Eletricista Aposentadoria especial


Apesar do risco a eletricidade atualmente não está prevista expressamente como agente nocivo, anexo IV do Decreto nº 3.048/99. Conforme o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), esse trabalhador não pode solicitar a aposentadoria especial. Porém, na Justiça, esse direito é assegurado.

De acordo com recurso especial julgado pelo STJ (Supremo Tribunal de Justiça), o eletricista tem direito a se aposentar com cinco anos a menos que os outros profissionais e sem a inclusão do fator previdenciário no cálculo do benefício –. Para isso, é preciso que o trabalhador atue exposto a uma corrente elétrica igual ou superior a 250 volts.
Ou seja, além dos eletricistas, outras profissões, como cabistas, montadores e eletricitários (quem exerce atividade ligada à transmissão, geração e distribuição de energia), também têm direito ao benefício especial. A comprovação deve ser feita através de um laudo técnico.
O Decreto 53.831 de 25/03/64 classificava a atividade como perigosa e pode ser convertida em atividade comum na proporção de  40% do tempo exercido até 1997 simplesmente com a anotação da atividade na carteira de trabalho.

Como obter o benefício

Antes de entrar na justiça, primeiro faça o pedido pela via administrativa junto ao INSS apresentando  o PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário) e o laudo técnico-pericial. O PPP é o documento que comprova a exposição a agentes nocivos,  o laudo determina a medição da eletricidade e são fornecidos obrigatoriamente pela empresa.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Complementação de contribuição para o INSS




CONTRIBUINTE INDIVIDUAL:




Autônomo Profissional liberal

  • contribuição do contribuinte individual será calculada sobre a remuneração auferida em uma ou mais empresas ou pelo exercício de sua atividade por conta própria, durante o mês, observado o limite mínimo e máximo do salário-de-contribuição. Desse modo, se o profissional receber R$ 724,00 de rendimentos, a sua contribuição para a Previdência Social será sobre os mesmos R$724,00; se receber R$ 800,00, a sua contribuição será sobre R$ 800,00 e assim por diante. No caso de receber  acima do valor do teto, por exemplo R$ 10.000,00 a sua contribuição será sobre o limite máximo de R$ 4.390,00 que é o Teto em 2014; e se receber menos que um salário mínimo, R$ 724,00, aí sim poderá complementar, mas somente até chegar ao mínimo de R$ 724,00

Empresário

  • O empresário que opta por receber mensalmente   um pró-labore de R$ 724,00, não tendo nenhuma outra renda no mês, ele só poderá contribuir para a Previdência Social sobre esse valor, é vedado  contribuir sobre um valor maior para a Previdência Social.
  • No  mês ou meses em que o empresário não tiver pró-labore recebido ou creditado e também não tiver nenhuma outra fonte de renda com incidência de contribuição previdenciária, como contribuinte individual, na competência em que não auferir remuneração, poderá, por interesse próprio, contribuir na categoria de facultativo, (§ 2°, do artigo 9°, da  IN/RFB  n° 971/2009) informando no documento de arrecadação (GPS) o código de pagamento 1406 utilizado para essa categoria. Nessa situação, o salário-de-contribuição poderá ser qualquer valor, respeitado os limites mínimo e máximo permitidos.