07/10/2010

O Brasil dos Aiatolás

O que seria relevante para os candidatos discutirem neste segundo turno; o suposto rombo da previdência? a reforma previdenciária? o câmbio? Nada disso. Passarão até o dia das eleições tentando agradar grupos religiosos sobre questões como aborto, união homoafetiva etc... Seriam discussões interessantes e oportunas se realmente traduzissem o que pensam e não a acomodação de suas opiniões ao oportunismo eleitoral.
A pressão que os grupos religiosos exercem, sejam católicos ou evangélicos, sobre questões cruciais como a das  células tronco embrionárias ou o aborto é de fazer inveja aos Aiatolás, nenhum candidato ousa contrariá-los quando muito dirão: Fumei, mas não traguei!
Falando em demagogia, há 50 anos a manchete da folha de São Paulo: Jânio Quadros tem 1 mi de votos a mais que Lott na apuração parcial. (07.out.1960)