16/02/2012

Desembargador do Rio de Janeiro é punido com aposentadoria compulsória



O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) condenou na tarde desta terça-feira o desembargador Roberto Wider, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), à aposentadoria compulsória - pena máxima em um processo disciplinar. A decisão foi tomada por 12 votos a dois. Wider foi acusado de favorecer o lobista Eduardo Raschkovsky, de quem é amigo, em decisões administrativas e judiciais.

Por outro lado, a pedido da Defensoria Pública de São Paulo, o Tribunal de Justiça do Estado concedeu no início da tarde desta quarta-feira (16/11), por meio de decisão liminar em habeas corpus, a liberdade para W.C., acusado de tentar furtar quatro latas de atum e uma lata de óleo, que, juntos, somam R$ 20,61.